Compartilhe experiência. Divida o mesmo palco.

Compartilhe experiência. Divida o mesmo palco.

Semana passada participei de um evento no espaço de eventos do World Trade Center, realizado pela empresa especializada em plataformas de CRM e serviços de iCloud, a Salesforce [https://www.salesforce.com]. De uma maneira fácil, rápida e sem custo, fiz minha inscrição pela Internet. 

Chegando lá, encontrei uma série de recepcionistas com aquelas pranchetas com folhas riscadas e amassadas, com os nomes de todos os convidados e fora de ordem alfabética. Será? Óbvio que não. Em eventos de tecnologia elas serão sempre substituídas. 

Encontrei uma série de iPads organizados lado a lado, onde cada um fazia a sua própria inscrição e, automaticamente, saía impressa uma etiqueta com seus dados. Detalhe: tinha uma observação se você era um possível cliente ou, um parceiro ou, um colaborador Salesforce. As alças dos crachás diferenciavam estes status por cores diferentes. 

Para quem ainda não teve a oportunidade de conhecer o escritório do Google, a tecnologia para receber um convidado é praticamente a mesma.

A cenografia também era rica em detalhes, interagindo com todos convidados que aguardavam o inicio do evento. Mesa de ping-pong, distribuição de brindes e telões com vídeos institucionais. Minis estandes de parceiros e uma Kombi, distribuindo milkshakes.

WOW né? Sim, mas o que me chamou a atenção mesmo foi a dinâmica das apresentações.

Neste mega evento, o presidente da empresa subiu no palco centralizado entre as mais de 2500 cadeiras, entre quatro grandes telões. Apresentou alguns números da empresa e principais soluções. Fizeram uma simulação em realtime de como gerir quaisquer informações de vendas, acompanhamento de performance ou dashboard de vendas.

Sem detalhar a ferramenta, apenas para dividir com vocês o quão ficaram próximo da realidade da solução, num mix incrível de tecnologia e integração com os convidados. 

Quando ele conclui a sua parte da apresentação, anunciou dois convidados entre a platéia. Um era Vice Presidente da 3ª maior empresa brasileira fabricante de aeronaves e, o outro, um diretor executivo responsável pela operação de uma start-up de educação.

Pois bem, esses convidados subiram ao palco para falar da contribuição da ferramenta para os seus negócios. E ai solto o meu segundo WOW! Quer melhor evidência? Notou-se claramente que o presidente tem um relacionamento direto com seus clientes e que pôde contar com eles para darem suas declarações da rica parceria de negócios.

Não tiveram slides ou quotes entre aspas. Eles estavam ali pessoalmente, falando com suas próprias palavras de uma maneira muito natural. E vejam, os portes de empresas dos convidados se distancia em bilhões de reais em faturamento. 

Uma experiência que tive e compartilho com vocês foi bem interessante. Trabalhava numa consultoria de marca e fui apresentar uma proposta para o presidente de uma empresa. Surpreendentemente ele comenta: “Eu conheço vocês e sei o que fazem. Por favor, me mostre apenas em um slide que mostre a sua experiência!” Abri o slide com os logos dos clientes e, no meu discurso, soube discorrer sobre o projeto de cada um. Ufa ...

A lição que aprendi: quando você tem uma agenda para apresentar uma proposta para um potencial cliente, você deve sempre considerar no documento uma evidencia de sua experiência. 

Compartilhe seus cases, sempre! Não há maneira melhor de tangibilizar o que faz.Sejam eles de empresas correlatas, da mesma indústria de atuação. Sejam de projetos que tiveram o mesma abordagem de trabalho que você irá propor. 

Tem os dois? Perfeito, adicione mais alguns slides na sua apresentação. Pode ter certeza que, do outro lado da mesa, há uma grande expectativa nesse sentido.

Voltando pro evento, todos lá entendemos que a solução da empresa caberia para qualquer tamanho de empresa que, em muitos casos, podem ter a mesma necessidade. 

Sendo assim, temos que tomar o cuidado em tratar e respeitar nossos clientes de maneira igual. Crucial em qualquer relacionamento de longo prazo. 

Vale a pena investir em nossos relacionamentos. Eles serão nossos porta vozes e estarão à nossa disposição para nos recomendar. O ideal é que o elogio seja natural e que possam sempre nos indicar e recomendar para outras empresas. Mas para isso temos que cuidar muito bem deles.

Clichês a parte, menos é mais. Nos dias de hoje, ter poucos clientes mas que te demandem sempre, gerem recorrência e valorizem seu trabalho, pode fazer mais sentido. 

Faça então esse exercício na sua empresa e pense na qualidade dos relacionamentos com seus clientes.

Quantos clientes subiriam com você no mesmo palco?

  Voltar para home Ver todos artigos  

Vamos marcar um encontro?

Eu tenho uma metodologia de trabalho. Você tem uma necessidade.

Vamos construir, juntos, um plano de atividades, que atenda a estratégia comercial da sua empresa.

Me escreve e vamos adiante!

Obrigado.

Cartão 18 connaction